terça-feira, 11 de março de 2014

Escritores na cozinha com... Anabela Borges

BOLO DE CHOCOLATE DA MÃE E DA INÊS
A Inês adora cozinhar, e gosta sobretudo de fazer bolos, de surpresa, para a irmã, a Beatriz.
O nosso bolo de chocolate é muito simples de fazer: utiliza-se como medida uma chávena almoçadeira e bate-se tudo no liquidificador.

Massa
6 ovos
1 chávena de açúcar
1 chávena de leite morno(a)
1 chávena de chocolate em pó Nesquick
2 chávenas de farinha branca de neve
1 colher (sopa) de óleo
1 colher (café) de fermento em pó
4 quadradinhos de chocolate culinário
1 colher (sopa) de manteiga

Cobertura
4 quadradinhos de chocolate culinário
1 colher (sopa) de manteiga

MODO DE PREPARAÇÃO:
Vão-se juntando, lentamente, os ingredientes no liquidificador e vai-se batendo a uma velocidade média, até ficar uma massa consistente e fofa. Para que o bolo não fique demasiado doce e para que ganhe um tom mais escuro, colocam-se os quatro quadradinhos de chocolate culinário numa chávena com uma colher de manteiga e põe-se a derreter no micro-ondas, por 2 minutos; acrescenta-se à massa e bate-se novamente, para ficar bem misturado.
De seguida, coloca-se numa forma redonda, previamente untada com manteiga e polvilhada com farinha.
Vai ao forno a 180ºC, por cerca de 40 minutos, pré-aquecido.
Depois de deixar arrefecer um pouco, desenforma-se o bolo.

Cobertura
Colocam-se os quatro quadradinhos de chocolate culinário numa chávena com uma colher de manteiga e põe-se a derreter no micro-ondas, por 2 minutos. Deita-se esse líquido por cima do bolo. O bolo vai ficar húmido e muito fofo.
Quando eu e a Inês fizemos este bolo, estava uma tarde invernosa de fevereiro. A Beatriz, que estava a estudar para um teste de Geometria Descritiva, cuidou que estava a ter alucinações, com o cheiro inconfundível do bolo a invadir a casa. Ficou muito feliz e achou que tinha o dia ganho. Estudar já nem lhe pareceu uma empresa assim tão inglória. E como é bom viver estes tempos em família!


Até ser Primavera
Primeiro livro da inteira autoria de Anabela Borges, “Até ser Primavera” surge como uma antologia de dez contos onde impera o desespero da condição humana, a dar lugar à esperança na primavera da vida.
Até que ponto as coisas mais simples podem fazer alguém voltar a agarrar-se à vida, ou os mistérios inexplicáveis levam a desistir dela? Como se faz da intriga um modo de vida, ou se vive na cegueira de não ver o que está mesmo à nossa frente? Como justificar um aborto voluntário, ou viver com alguém que te faz a vida num inferno, como aguentar a perda daqueles que mais amamos, ou entender a saudade arrebatadora no fado do amor, como perdoar, ou gerir arrependimentos? São histórias que, há muito, te acordam o sono, te preenchem as memórias e te povoam os dias inquietos, para ler e refletir. Vale a pena acreditar na primavera da vida.
Este livro surge como o resultado da atribuição do prémio melhor conto da coletânea Ocultos Buracos, da Pastelaria Studios Editora, e inclui o conto vencedor.

Anabela Borges

Sem comentários:

Enviar um comentário