domingo, 27 de outubro de 2013

Trança

Já há muito que andava com vontade de fazer a Trança do Livro Base da Bimby. É tão fácil de fazer que, agora pergunto-me porque não a fiz há mais tempo. Fica fofa e enormeeee! Não esperava que crescesse tanto...

Aqui está ela:





Com um pouquito de manteiga fica de chorar por mais! Mas não, eu comi apenas uma fatia, sem manteiga mesmo! Receita a repetir, sem dúvida! Faz- se assim:

Coloca-se no copo da Bimby 250 gr de leite, 100 gr de manteiga e 50 gr de açúcar durante 2m, 37*, vel 2.  Junta-se uma saqueta de fermento (11gr) e 2 ovos e programe 10 seg, vel 6. Depois junta-se 700 gr de farinha, uma pitada de sal e bate-se 3m, velocidade espiga.

Deixa-se levedar por 20 m dentro do copo. Divide-se a massa em 3 partes iguais e fazem-se 3 rolos e entrançam-se. Pincela-se com uma gema levemente batida e por cima, poê-se açúcar humidificado em montinhos.

Coloca-se dentro do forno a 50* e deixa-se dobrar de volume. Depois põe-se mais 20 m a 180*.

domingo, 20 de outubro de 2013

Um amigo, uma receita... com Mara Ferreira

TARTE DE BACALHAU


Ingredientes
• 500gr. bacalhau desfiado
• 150gr. batata palha
• 1 embalagem massa quebrada
• 4 ovos
• 2dl. leite
• 2dl. natas
• 5 dentes de alho
• 2 folhas de louro
• 2 colheres sopa de farinha
• 1 cebola média
• Sumo de limão q.b.
• Sal q.b.
• Pimenta q.b.
• Noz-moscada q.b.
• Salsa q.b.

Preparação

• Coze-se o bacalhau no leite com as folhas de louro. Faz-se um refogado com os dentes de alho e cebola.
• Incorpora-se o bacalhau e deixa-se refogar mais um pouco, envolvendo de seguida a farinha no bacalhau.
• Seguidamente, junta-se o leite da cozedura do bacalhau, o sumo de limão, a noz-moscada, a pimenta e deixa-se levantar fervura.
Retira-se do lume, juntam-se as natas, os ovos mexidos, a salsa e a batata palha. Mistura-se tudo e retificam-se os temperos.
Verte-se o preparado na tarteira forrada com massa quebrada.
• Vai ao forno a 180º cerca de 25 a 30 minutos.

Mara Ferreira

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Escritores na Cozinha com... Luís Ferreira


Pimentos Padrón

Confecção: Cerca de 5 minutos

Dificuldade: Fácil


Ingredientes:

1 saco/embalagem de pimentos Padrón (de preferência originais pois são os melhores), 
Azeite
Sal qb

Preparação:

Numa frigideira, cobrir o fundo com azeite, atenção que basta só cobrir, colocar ao lume de forma, a que aqueça até o azeite ficar quente.
Quando estiver bem quente, mas sem ferver, colocar os pimentos inteiros e com o pé até cobrir a totalidade do fundo da frigideira e começar a pressionar os pimentos com uma espátula (é preciso ter cuidado pois muitas vezes o azeite salta, portanto aconselho a utilizar uma tampa para se proteger, e diminuir o lume).
Ir virando os pimentos ligeiramente quando estes começam a ter bolhas na pele, repetir a operação de os pressionar com uma espátula.
Alerto que se querem cozinhados, mas não queimados, por isso é necessário prestar atenção a este processo. Por norma passados 5-6 minutos estão prontos.
Retirar os pimentos para um prato, polvilhar com sal grosso qb e servir ainda quentes.

Acompanhar de preferência com vinho, serve de petisco ou de entrada para uma refeição.


PS: Uma nota final, não tirar os pés aos pimentos pois dão jeito para se poder comer à mão.


Entre o silêncio das pedras

Quando Pedro Marques, um brilhante escritor, perde o amor da sua vida num trágico acidente de viação utiliza a bebida como companhia e afasta-se de tudo e de todos, afundando-se por completo num mundo de trevas e tornando os seus dias sombrios. Entretanto, um velho livro chega-lhe às mãos e com ele decide iniciar o caminho de Santiago, uma viagem que irá mudar completamente a sua vida e que o levará à descoberta da sua própria natureza.

sábado, 5 de outubro de 2013

Batata doce assada

Receita rápida e fácil. Uma delícia para quem, como eu, gosta muito de batata doce!

Descascam-se e lavam-se as batatas doces. Cortam-se às rodelas. Dispoēm-se num tabuleiro untado com manteiga. Polvilha-se com açúcar e colocam-se por cima algumas nozes de manteiga. Vai ao forno até assarem, agitando o tabuleiro de vez em quando.

Ficam assim...

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Escritores na Cozinha com... Sónia Cravo

Galo assado no forno

Ingredientes:

  • Galo caseiro
  • Batatas pequenas
  • Azeite
  • Salsa
  • Folhas de louro – 2
  • Dentes de alho – 4
  • Cebola grande – 1
  • Pimento – 1
  • Cerveja pequena – 1


Preparação: 
Colocar o galo na assadeira, cortado em pedaços de tamanho médio, e temperar com sal, azeite, louro, alho, cebola, salsa, um pimento e cerveja. Deixar a marinar para o dia seguinte. Antes de levar ao forno, acrescentar as batatas e tapar a assadeira com papel de alumínio. Ao fim de 2 horas, retirar a prata e deixar alourar durante cerca de 20 minutos. Vai à mesa aos domingos, sempre na companhia de um bom vinho. 



As coisas são há um ror de tempo, perfeitas e imperfeitas, boas e más, são antes e depois, presentes futuros há um ror de tempo. Eu sou o presente que existe em mim, por detrás dos outros, da chuva fria e da chuva quente, da macieira, do silêncio, das leis, das coisas que são vida e que são mortas, da pontinha de beleza do céu que há em mim, das pedras, dos engates, dos amores inteiros, dos sonhos, da boca à espera de pão, da louça lavada e da louça por lavar. Sou lá fora e sou aqui, por detrás da porta fechada com três voltas de chave. E depois penso, mas não como pensava antes, já não há fel nem
vinagre nestes pensamentos, apenas essa consciência louca de que o tempo das interrogações é um tempo sem candura. Aqui, paredes meias com vizinhos, impõem-se-me a noite, mas tudo guincha, guincha e dissolve-se. Eu fecho as pálpebras. Abre-te, Sésamo! É mais um pouco daquilo que chega para de assombro despertar. Agora a minha cabeça fica maior e, nesses instantes, odeio o mundo todo, menos os meus. Mas se me vem à memória uma criança mal alimentada, choro. E volto a odiar o mundo todo, menos os meus e aquela criança. E se penso na vizinha doente, curvada nas escadas, o olhar trágico do marido, a dor deles vem deitar-se ao meu lado, e volto a odiar o mundo todo, menos os meus, a criança, a minha vizinha e o marido da minha vizinha. E é então que a minha cabeça volta a ficar pequena, como se todas as questões do mundo fossem uma espécie de penitência absurda que não me deixa ser para além deste pardieiro. Às vezes, é certo, vem à tona um tempo plano, líquido como a alma que não se vê, e aí sou capaz de me achar longe do mundo. E aí, à falta do mundo, escrevo. Escrevo por tudo isto e por outras razões que não consigo explicar, neste pequeno canto da cozinha onde encaixei uma mesa. A janela sempre fechada.

Sónia Cravo

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Experiências na Cozinha: "Comeres de África"

Há tantas receitas neste livro que quero fazer! Sei bem que as minhas raízes estão em Africa e alguns pratos fazem renascer em mim memórias de uma infância muito feliz. Talvez por isso, quando folheio as páginas desta obra, há sempre mais uma marca que coloco para, mais tarde, fazer a receita.

Para ser perfeito faltam mais fotos no livro, porque primeiro comem os olhos, depois a boca...

Deixo-vos com um cheirinho de um prato Moçambicano, fácil de fazer e muito gostoso: o Frango Apimentado!



E aqui vai a receita que alterei um pouco para a Bimby. Mas pode ser feita sem ela. Basta ter uma varinha mágica ou outro qualquer electrodoméstico para moer muito bem...

Bati na Bimby 10 dentes de alho, 3 pimentos-malagueta (coloquei 1 pimento vermelho), sumo de 3 limões, azeite a gosto, pimenta e sal q.b.

Deita-se este molho sobre uma embalagem de peitos de frango e vai ao forno! Acompanhei com arroz branco.

Querem mais fácil que isto? Para sobremesa fiz batata doce assada (receita Angolana) que postarei mais tarde.